Carregando...
Sem categoria

Atendimento a populações vulneráveis

 

ISOLAMENTO SOCIAL: FAZ BEM PARA MIM!  PARA VOCÊ!  E PARA OS OUTROS? 

A Covid-19 está aí e impulsionou a população a ficar em seus lares, e para aqueles que não têm
um lar?  Migrantes, indígenas, moradores de rua. Populações vulneráveis que precisam se isolar e ao mesmo tempo se expor! Paradoxo este, que faz crescer uma nova forma de se reinventar: do eu para o outro! Pratique essa ideia!


Grupo: Andreza Reis, Rodrigo Camarano e Thiago Aziz 

 


E agora? A pandemia não tem classe social, porém, ainda assim, os mais vulneráveis são os que mais sofrem sequelas por falta de recursos.

Quem são essas pessoas? São os moradores de rua, migrantes refugiados, sistema prisional, povos indígenas.

No Brasil, temos o nosso Sistema Único de Saúde(SUS), de caráter público, democrático, universal, integralizado. Que tal então tomarmos medidas de emergência que preservem também a saúde e o povo que vive em situação mais vulnerável? Que garantem renda, sobrevivência e serviços adequados para atendê-los?

O caminho mais rápido de conseguirmos atingir esse público é através de ações sociais, promovermos a solidariedade, conseguindo trabalhos voluntários e doações para suprirmos um pouco da carência desses grupos. Mas ainda com esses trabalhos sociais é preciso perseverar no direto igualitário de todos em receber ao menos os recursos básicos de sobrevivência, como moradia, alimentação, educação, atendimento básico de saúde, condições sanitárias entre outros.

 

Equipe de trabalho: Brenda Dias, Daiane Sousa, Maria Eduarda, Mônica Assunção, Tatiane Silva

 Professora orientadora do texto: Profa. Cristiane Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *